Detox emagrece mesmo?

O suco de uma laranja, duas folhas de couve, raspas de gengibre, algumas rodelas de pepino, meio litro de água… jogue tudo no liquidificador e…Você já descobriu do que a gente vai falar hoje, né?

Uma dieta que muitas pessoas vêm fazendo e que pode realmente ser ótima para o organismo… desde que feita do jeito certo: a dieta detox, melhor termogenico para emagrecer.

O que exatamente é uma dieta detox?

Será que serve pra mim? Como posso fazer pra seguir ela bem certinho? Antes de tudo, precisamos deixar uma coisa bem clara: “Detox” é um nome péssimo porque ele é impreciso. Não existe magia, a dieta detox não vai “desintoxicar” seu organismo magicamente…

Como o nome “detox” passa uma ideia errada (e exagerada) sobre o seu real objetivo, essa dieta ganhou muitos críticos que a tratam como uma fraude. Nem 8 nem 80, nem a oitava maravilha do mundo, nem uma farsa completa.

É preciso tomar cuidado e se informar, e a gente tá aqui pra isso! Então tá. Dito isso, preste bastante atenção que essa postagem vai ter muita informação que você não sabia! Ela se baseia no consumo de frutas, hortaliças, água, sopas e “suchás” – misturas de sucos e chás.

Detox faz mal?

Seus seguidores acreditam que o consumo destes alimentos ajuda no funcionamento dos rins e fígado e com isso promove a eliminação de “toxinas” acumuladas no organismo. Nossos órgãos, na verdade, já fazem esse trabalho sozinhos.

O fígado, os rins e o intestino, principalmente, trabalham no metabolismo (absorção e eliminação) de tudo o que ingerimos. Eles selecionam e direcionam nutrientes para o funcionamento ideal do corpo. O problema acontece quando exageramos. Bebida alcoólica, alimentos refinados, industrializados…

Tudo isso em excesso pode acumular uma série de metabólitos tóxicos e sobrecarregar os órgãos responsáveis pela excreção. Aí entram os benefícios dos alimentos considerados “detox”. Esse processo de sobrecarga pode ser combatido adicionando à dieta alimentos ricos em vitaminas e minerais específicos pra isso, como o magnésio,
ferro, zinco e vitamina C.

Essas substâncias que auxiliam alguns órgãos no processo de livrar o corpo de anti nutrientes, metais pesados e radicais livres. Dessa forma, ao contrário do que muitas pessoas pensam, uma dieta detox NÃO TEM como maior propósito o emagrecimento, e sim ajudar o organismo a se livrar de substâncias prejudiciais que consumimos sem saber e outras que produzidas pelo próprio metabolismo – como os radicais livres.

Por exemplo: Uma metanálise realizada pela Faculdade de Medicina e Ciências da Saúde da Macquarie University, de Sydney na Austrália, em 2014, divulgou dados que sustentam que o uso de substâncias como coentro, uvas e outras frutas vermelhas, frutas cítricas, e Chlorella – uma alga que é considerada um superalimento – pode aumentar de 20 a 30% a eliminação de metais pesados, como o cádmio, por exemplo.

A detox também pode promover nossa saúde porque ela retira da nossa dieta alimentos inflamatórios – como os carboidratos brancos, por exemplo – e inclui nutrientes que favorecem as funções do fígado e dos rins. Há também outros benefícios que uma Detox alinhada com a boa ciência pode trazer, como o resgate do paladar que foi “sequestrado” por alimentos industriais repletos de aditivos químicos; uma melhora significativa do sono;  diminuição do stress e melhora importante do humor, dentre outros benefícios que podem ser observados quando evitamos alimentos refinados e empacotados.

É válido também dizer que, no curto prazo, a “dieta detox” pode promover uma perda de peso momentânea pela retirada de metabólitos tóxicos acumulados no tecido adiposo. Que maravilha! Agora só preciso andar sempre com uma garrafinha cheia de um suco detox e tomar todos os dias e vou emagrecer e ser a pessoa mais saudável do mundo, certo? Na verdade não é bem assim.

Existem muitas vertentes da dieta detox hoje em dia que enfatizam o emagrecimento como foco principal da detox. Mas não há nenhum estudo que sustente a utilização dessa dieta para o emagrecimento e isso é, inclusive, uma preocupação, pois ao invés de INCLUIR a dieta num cardápio equilibrado e hábitos saudáveis, muitas pessoas têm consumido APENAS sucos, sopas e chás em busca da perda de gordura e se submetem ao risco do déficit energético. de proteínas e gorduras – essenciais para a produção de hormônios, desequilíbrio eletrolítico, desenvolvimento de anemias e doenças metabólicas, tudo isso por pura desinformação e “marketing detox”.

Alguns sucos de fruta – como o de laranja, por exemplo – são de alto índice glicêmico e isso significa aumento da fome, aumento das chances de compulsão alimentar (especialmente por carboidratos) e elevação persistente da leptina, o hormônio que a gente já viu que produz o estímulo da fome.

Além disso, estimula a alta liberação da insulina, o que pode induzir à resistência insulínica no futuro e até diabetes. Enfim, “alimentos detox” – entre aspas! – são bons pra ajudar o funcionamento natural dos nossos órgãos, mas existe muito exagero e muitos mitos sobre o que e como fazer… e como vimos isso pode até causa mais mal do que bem!

Por isso informação e cuidado são o mais importante, ao invés de aderir a modismos. No final das contas, o que é mais importante nesse processo de ajudar o organismo a funcionar bem e se livrar de tudo que não presta é tomar uma boa quantidade de água.

A água estimula todo mecanismo natural de limpeza do corpo todos os dias! Então não esqueça de se hidratar bem, não bebendo água só quando tiver sede, pois a sede já é um sintoma de desidratação. É isso aí galera! Um forte  abraço e até a próxima!

Leave a reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>