A sexualidade ainda é um grande tabu na nossa cultura. Mas é necessário falar sobre esse tabu, porque o desconhecimento sobre esse assunto só ajuda a perpetuar o sofrimento que milhares de pessoas vivem todos os dias. A sexualidade humana se manifesta de várias formas. Pra podermos falar sobre ela, é importante primeiro saber a diferença entre sexo, gênero, identidade de gênero e orientação sexual.

O sexo é a parte biológica e se divide em macho, fêmea e inter sexo. Ele é definido pelos seus cromossomos e por características como órgãos reprodutivos internos e externos. Mas mesmo definir o sexo de alguém não é tão simples assim, já que uma pessoa biologicamente inter sexo pode nascer com características sexuais de macho e de fêmea.

Gêneros

teston reclame aquiOs gêneros são as categorias de masculino e feminino que construimos socialmente. Os gêneros englobam todas as práticas arbitrariamente atribuídas às pessoas que nascem com um aparelho genital ou outro. Cada cultura incentiva que as pessoas tenham certos comportamentos, vestuários, profissões e valores de acordo com o gênero atribuído à pessoa quando ela nasceu.

A Identidade de gênero tem a ver com qual gênero você se identifica. Um indivíduo biologicamente macho pode se identificar com o gênero masculino ou com o gênero feminino e uma pessoa biologicamente fêmea também pode se identificar com qualquer um dos dois. Transgêneros são pessoas cuja identidade de gênero ou expressão dessa identidade difere do gênero relacionado com o seu sexo biológico. Um exemplo seria o de uma pessoa biologicamente macho, mas que se identifica com o gênero feminino e se veste ou se comporta de um modo coerente com o gênero feminino. Quando a identidade e expressão de gênero é coerente com o gênero atribuído a uma pessoa, chamamos ela de transgênero. E por último, a orientação sexual descreve por que tipo de pessoa você sente atração afetiva ou sexual. Ela geralmente se divide em orientação heterossexual, homossexual ou bissexual.

Apesar dessas divisões, hoje em dia a orientação sexual é vista mais como um contínuo, variando de um extremo a outro. A orientação sexual de alguém não é necessariamente fixa e pode variar por diferentes razões. Tanto a orientação sexual quanto a identidade de gênero costumam se manifestar desde cedo independente dos pais ou pessoas próximas serem homo ou heterossexuais, transgêneros ou cisgêneros. Todas essas características da sexualidade são determinadas por muitas coisas, como a herança genética passada pelos pais, o funcionamento das glândulas e hormônios do corpo, as primeiras experiências de socialização, a cultura vigente e as suas experiências durante a vida.

A nossa sociedade incentiva algumas orientações e identidades enquanto discrimina outras. Por isso, os pais de uma criança costumam incentivar ou reprimir as manifestações de sexualidade a partir das normas culturais com as quais eles concordam. E isso ocorre muito. Na nossa cultura assim como em muitas outras, homossexuais e pessoas com uma identidade distante do gênero associado ao seu sexo são alvos de discriminação e violência.

Pode ser difícil acreditar, mas até há alguns anos atrás, ter relações sexuais com pessoas do mesmo sexo era um crime em países como a Inglaterra. Na verdade, ainda existem países assim hoje em dia, como a Arábia Saudita e o Irã. O resultado disso é que quem não é heterossexual ou com uma identidade coerente com o gênero relacionado ao seu sexo vive em um mundo muito hostil. E o pior é que isso ocorre por motivos que estão além do controle da pessoa.

O sexo, a orientação sexual e a identidade de gênero não são meras escolhas que fazemos. Uma pessoa pode disfarçar os seus sentimentos ou tentar obedecer a um certo padrão de sexualidade pra ser melhor aceito ou evitar punições. O problema é que isso muitas vezes leva a anos de sofrimento, frustração e até mesmo suicídio. Expressar a própria sexualidade é uma parte fundamental do desenvolvimento psicológico saudável de qualquer pessoa.