Category Archives

2 Articles

Existem remédios caseiros para disfunção erétil?

A disfunção erétil é uma doença que afeta a vida dos homens, e causa dificuldade ou chances de se ter uma ereção satisfatória para o ato sexual, podendo levar a distúrbios emocionais significativos.

Saiba, que muitas vezes a doença pode ser controlado com remédios naturais, sem a necessidade do uso de drogas industrializadas, que são muito eficazes para promover uma boa ereção.

Veja abaixo quais são os remédios naturais que você pode usar para controlar a disfunção erétil, e os medicamentos tradicionais receitados por médicos.

Remédios caseiros para tratar a disfunção erétil

Veja abaixo alguns remédios caseiros para tratar a disfunção erétil:

Maca peruana

A maca peruana é um tubérculo nativo do Peru, onde lá ela é consumido como um alimento, mas não se tornou popular no mundo todo como um poderoso suplemento.

Ela é considerado um superalimento devido aos seus valores nutricionais, já que mesmo consumida em pouca quantidade é muito energético.

A maca peruana também age como um estabilizador hormonal natural, tanto em homens quanto mulheres, devendo-se consumi-la todos os dias para aproveitar melhor os seus efeitos.

No Brasil, é possível encontrar diversos suplementos que contêm maca peruana em sua composição, sendo o xtrasize original um dos mais conhecidos. Muitos homens se perguntam se esse produto é realmente eficaz, e no vídeo abaixo o leitor pode visualizar um depoimento para conferir se xtrasize funciona mesmo.

Banhos de sol

Você sabia que um simples banho de sol pode te ajudar a tratar a disfunção erétil? Isso porque, a luz solar de certos horários, possui a virtude de revitalizar nosso corpo, mas devemos fazer isso em intervalos curtos, de no máximo 10 minutos, e diariamente.

A importância do banho de sol para a disfunção erétil, é que esta técnica ajuda a repor a falta de vitamina D no organismo masculino, e o banho de sol é a melhor forma de repor essa vitamina.

Gingko biloba

O gingko biloba é uma planta medicinal utilizada para diversos fins, e sua característica é a capacidade de oxigenar melhor nosso corpo.

Por esta razão, que ele é bastante prescrito para tratar de forma natural distúrbios cerebrais, má circulação e, para este caso, favorecer um bom suprimento de sangue para o órgão sexual masculino.

Mas atenção, o gingko biloba nunca deve ser tomado por mais de 3 meses, já que isso é preciso para ele continuar eficaz e não ser prejudicial a sua saúde, por isso, faça intervalos e consumi-lo sempre de forma sazonal.

Uma dica é descansar 1 ou 2 meses e voltar a tomar novamente ou combiná-lo com outros tipos de suplementos.

Mel e canela

A combinação de mel e canela também é um ótimo remédio natural para diversos males, e pode ser utilizada para tratar a disfunção erétil.

Essa é uma solução eficaz para aumentar a libido dos homens e, inclusive das mulheres, melhorando a circulação do corpo em geral.

Mas, para o remédio natural ser eficaz, é preciso se certificar da escolha da canela, que ser do tipo Ceilão, já que essa variedade possui mais propriedades medicinais e não traz muitos riscos quando consumida em grandes quantidades.

Veja a receita de mel com canela abaixo para tratar a disfunção erétil:

Ingredientes

  • 5 colheres de mel ou 125 g
  • 5 colheres de sopa de canela Ceilão ou 75 g

Modo de preparo:

  1. Misture os dois ingredientes e reserve em um pote.
  2. Tome sempre uma 1 colher de sopa meia hora antes de cada refeição.

Tratamento para a Disfunção erétil com medicamentos

Em muitos casos a disfunção erétil pode não ser tratável com medicamentos naturais e, neste caso, o médico pode indicar o uso de drogas industrializadas específicas para essa doença.

Hoje os médicos costumam prescrever medicamentos orais chamados inibidores da fosfodiesterase tipo 5, como:

  • Sildenafila
  • Vardenafila
  • Tadalafila

Ainda, quando o uso dessas medicações orais não resolve, existem outras tipos de tratamento como as injeções de vasodilatadores e as próteses penianas, em último caso.

Mas lembrando, apenas um médico pode dizer qual o medicamento é o mais indicado para o seu caso, assim como a dosagem correta. Procure sempre a ajuda de um médico especialista, e nunca se automedique.

Como seu corpo reage às calorias

Diz a lenda que para emagrecer basta comer menos calorias… mas as coisas não são tão simples assim: Nosso corpo é um sistema biológico complexo, e alimentos diferentes seguem caminhos diferentes. Por isso, uma caloria ingerida é diferente dependendo da fonte: uma caloria de batata é diferente de uma caloria de couve ou de uma caloria sorvete.

Além disso, os alimentos são compostos por diferentes nutrientes, que tem variados efeitos em hormônios e centros cerebrais que controlam a fome e nossa alimentação no geral. Vamos falar então nos efeitos que cada tipo de alimento tem no nosso corpo. Começando pelos Carboidratos!

Carboidratos

Apesar de muita discussão entre cientistas, existe 1 grande consenso: carboidratos refinados como pães brancos e açúcar engordam, e muito! Isso porque estes alimentos, além de conterem pouquíssimas fibras, são formados basicamente por moléculas pequenas de açúcar, que são absorvidas muito rapidamente pelo nosso organismo. A rapidez com que o açúcar entra no sangue é chamado de índice glicêmico. E a consequência: picos e quedas abruptas nos níveis de açúcar no nosso sangue depois de comermos um prato de macarrão, por exemplo.

E o pior: para aproveitar esta bomba de energia, nosso corpo a armazena em forma de gordura. Assim que esta onda energética passa, sentimos vontade de comer mais. Criando um círculo vicioso. Uma saída natural para evitar este processo é procurar alimentos pobres em carboidratos, como carnes magras ou vegetais. Ou então, carboidratos ricos em fibras, como arroz, pães e massas integrais. Isso porque as fibras controlam a quantidade de açúcar que entra no seu sistema, diminuindo assim os picos de açúcar no seu sangue.

Proteínas

pessoas que emagreceram com low carbOk, e as proteínas? As proteínas são muito importantes para nosso organismo: A proteína da nossa alimentação é a matéria prima para os nossos músculos: na digestão, ela é processada para formar os feixes musculares. Para o nosso corpo, manter a musculatura exige uma quantidade de energia relativamente grande.

Por isso, uma dieta rica em proteína garante uma maior queima calórica, mesmo sem exercício. Além disso, a própria digestão das proteínas demanda energia extra do corpo. Isto porque o ciclo metabólico da proteína é menos eficiente: o que significa que a cada 100 calorias de origem proteica, o corpo utiliza 25 para metabolizar a própria proteína ingerida. Ou seja: de cada 100 calorias de proteína que ingerimos, nosso corpo absorve apenas 75. Mas cuidado com o churrasco e aquele bife à milanesa: para perder peso prefira carnes magras e de preferência grelhadas.

E as gorduras, por tanto tempo grandes vilãs do emagrecimento? Estudos recentes provaram a importância de comer alimentos ricos em gorduras saudáveis, como salmão, castanhas ou azeite de oliva. Tudo bem, não é qualquer gordura que é aliada em uma dieta de perda de peso: por exemplo, bacon e nata têm muita calorias e colesterol, além de poucos nutrientes. Por outro lado, uma pesquisa feita em Harvard mostrou perda de peso significativa em pessoas com dietas ricas em gorduras saudáveis e pobres em carboidratos.

Além de aumentar a sensação de saciedade e ajudar na perda de peso, elas fornecem ácidos graxos importantes para o corpo. Por sinal, muitos estudos apontam que alimentos gordurosos como abacates e óleo de coco auxiliam na perda de gordura abdominal.

E assim voltamos ao início desta postagem: Nosso corpo é realmente um sistema muito mais complexo do que uma simples calculadora de entrada e saída de calorias. E fica claro que quando se fala em metabolismo e regulação de apetite, 1 caloria de carboidratos é completamente diferente de 1 caloria de proteína ou gordura.

Por isso, lembre-se: o cuidado em selecionar o tipo de alimento que ingerimos dá muito mais resultado do que simplesmente ficar contando e cortando calorias. Tanto para o seu peso quanto para sua saúde.